O BEIJO DA CRUZ, PELAS ALMAS…

 

Muitas almas padecem no Purgatório pelas irreverências e descobrimento do Penhor da Santa Cruz. Não tiveram beijos para Ela ou não tiveram templo vivo na alma para contemplá-La e adorá-La. Muitas almas padecem terríveis dores pelos desprezo e por terem abandonado o caminho da Cruz. O Padecimento mais Doloroso do Salvador no mundo foi levá-La e Nela derramar Seu Precioso Sangue, entregando entre Chagas Vivas a Vida, e por isso o Padecimento mais Doloroso de uma alma quando desperta para Ela o Tempo da Justiça, é não tê-La acolhido no coração e desprezando-A no tempo, substituindo-A por coisas mundanas, materiais e temporais, pois o testemunho da Santidade, Vida e Verdade é na Cruz que se vê. Peço às  almas sedentas pela Glória do Meu Coração, desejem que Minha Glória alcancem aqueles que dela no mundo se esqueceram e por isso agora sofrem com ultrapassada sede espiritual, a sede por Mim, mas que só beberão Desta Água quando, como água límpida e cristalina se tornarem suas almas diante de Mim.

Peço aos que aqui, ainda tem o tempo da conversão, os que buscam Amar, Adorar a Cruz, beijem muitas  vezes o CRUCIFIXO BENTO, pelas Almas do Purgatório, que em vida o desprezaram. Fazei este ATO Em Nome de uma alma do purgatório e então farei descer sobre esta alma os reflexos gloriosos de Minha Cruz Vitoriosa e Minha Complacência se apressará em coroá-la para a Vida Eterna. Veja que Morri para dar-lhes o Paraíso. Se Me amais, deixem-se morrer a vós mesmos, amando-vos uns aos outros, principalmente aqueles que sentem sede do vosso Amor para conhecer Meu Coração. Sejam Mansos em viver Minhas Palavras. Humildes em colocar  flores no Meu Coração e se quereis dar-Me estas alegrias, então Me tragam almas… entregai-vos por elas e imitai o Vosso Senhor. Mortificando se preciso for para dar-lhes à conhecer o Sabor da Vida Eterna. Abençôo- vos em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

 

“BEIJO-TE Ó  CRUZ SANTA DE MINHA SALVAÇÃO, PELAS ALMAS QUE PADECEM NO PURGATÓRIO, DAI-LHES SENHOR, O DESCANSO E LUZ ETERNA. AMÉM!”  

 

(extraído do livro “Os apóstolos da Sagrada Face”